PoupeMais oferece a beneficiários do Bolsa Família dicas para equilibrar finanças domésticas

Publicado em em Printec Comunicação.

MGov Rafael Vivolo CEOCriado pela MGov, startup que apoia políticas públicas e programas sociais com comunicação e nudges para mudança de comportamento, o programa de educação financeira PoupeMais está sendo fornecido gratuitamente pela CAIXA, em caráter piloto. O objetivo é ajudar as famílias a planejar gastos e a conquistar objetivos.

São Paulo, 9 de abril de 2018 – “Cuidado! Hoje é sexta-feira; evite comprar por impulso”. A dica para economizar, que pisca no celular, é uma das várias mensagens enviadas semanalmente por SMS pelo programa de educação financeira PoupeMais, da MGov, desenvolvido com base em avançados estudos comportamentais. No final de 2017, beneficiários do Programa Bolsa Família receberam um convite por SMS ou viram no extrato impresso de seu benefício como aderir gratuitamente ao PoupeMais. A iniciativa é parte do Desafio de Negócios de Impacto Social: Educação Financeira e Serviços Financeiros para Todos, com recursos do Fundo Socioambiental CAIXA, que apoiou projetos de cinco startups, promovido em 2017 pela CAIXA e Artemisia. O objetivo do Desafio era potencializar uma nova geração de negócios que promovam a inclusão financeira e que atendam às necessidades da população de menor renda no Brasil. Para aderir ao PoupeMais, basta enviar um SMS grátis com a palavra-chave que ativa a comunicação. Até agora, 6.650 beneficiários já aceitaram participar.

Uma das cinco selecionadas entre as 460 startups avaliadas pela CAIXA, a MGov desenvolveu o ImpactCom, um produto de comunicação inteligente voltado ao desenvolvimento social. A comunicação do ImpactCom é feita por meio de SMS e de aplicativos que as operadoras permitem utilizar sem consumir dados, como Facebook Messenger, diretamente no celular do público-alvo, metodologia que tem grande alcance e custo baixo. As bibliotecas de engajamento do ImpactCom, como o PoupeMais, fundamentam-se nas teorias da economia comportamental e da “arquitetura da escolha”, desenvolvida por Richard Thaler, prêmio Nobel de Economia em 2017. De acordo com esses teóricos, “gatilhos” (nudges) como o recebimento de mensagens periódicas influenciam e modificam ações, produzindo transformações sociais. São estratégias que, em vez de impor, estimulam as pessoas a tomar por si só decisões que melhorem seu bem estar; “empurrões” para ações benéficas das pessoas em relação a elas próprias e à sociedade, motivando mudanças de comportamento e de hábitos.

O PoupeMais tem apresentado resultados muito positivos não só na área pública, mas entre empresas. Em 2017, por exemplo, foi distribuído pelo Instituto Natura para 15 mil Consultoras da marca de cosméticos. No caso da CAIXA, o PoupeMais envia informações relevantes e sugestões de atividades corriqueiras visando a um planejamento financeiro melhor e decisões de consumo consciente. “O objetivo é fazer com que as pessoas sejam mais conscientes na tomada de suas decisões financeiras e que possam planejar melhor seus gastos”, afirma Guilherme Lichand, presidente do Conselho da MGov.

Os beneficiários do Bolsa Família que se inscrevem no PoupeMais recebem dicas duas vezes por semana, por um período de 18 semanas. São textos simples e diretos, validados pelo Ministério do Desenvolvimento Social, que é o gestor do programa, e incluem conselhos de como evitar cair em armadilhas psicológicas de consumo e se arrepender depois. No celular, aparecem mensagens como: “Dicas para não cair em armadilhas. 1- Faça uma lista de compras. 2- Comece pelos itens essenciais. 3- Não vá às compras com fome. Funciona!” ou “Existem preços que terminam com 99, por exemplo, R$ 1,99. Você já caiu na armadilha do preço que termina em 99?”.

O conteúdo é dividido em sequências de quatro mensagens, cada uma com um objetivo: fato motivador, sugestão de atividade, interatividade e reforço. A MGov desenvolveu – em parceria com especialistas em educação financeira e de instituições como a Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF) – uma biblioteca de conteúdos para a formação de hábitos financeiros mais saudáveis, focada na base da pirâmide. “Com as informações financeiras, as pessoas podem administrar melhor e reduzir suas dívidas, buscando os produtos financeiros disponíveis no mercado, com melhores condições. Uma mensagem por SMS muda verdadeiramente o comportamento. É um recurso poderoso”, diz Lichand.

O convite para acessar o PoupeMais no contexto da ação com a CAIXA foi feito de duas formas. Na primeira etapa, foram enviados SMS para 100 mil telefones de beneficiários do Bolsa Família listados no Cadastro Único do MDS, promovendo a adesão de 1.370 pessoas. Na segunda etapa, o convite foi enviado aos beneficiários do Bolsa Família por meio do extrato impresso do benefício.

O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda, direcionado às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza. Em todo o Brasil, cerca de 50 milhões de brasileiros são atendidos pelo programa. Parte dos beneficiários recebe o Bolsa Família por meio de uma conta simplificada, com limite de saldo e movimentação mensal de R$ 3 mil.

O modelo de comunicação criado pela MGov, por meio do envio e recebimento de mensagens via SMS e aplicativos sem consumo de dados diretamente no celular do público-alvo, possui duas vantagens em relação aos métodos convencionais: custa muito menos e pode atingir um número bem maior de pessoas. “O nosso modelo estabelece um canal de comunicação direto com a população de baixa renda. Vale lembrar que mais de 90% dos domicílios brasileiros têm telefone celular, mas no máximo 45% têm acesso sistemático à internet. Nossa abordagem é a mais custo-efetiva para chegar até aqueles que mais precisam”, diz Rafael Vivolo, diretor-executivo da MGov. O negócio de impacto social utiliza cobrança invertida, que não exige que o usuário tenha créditos para receber conteúdo ou interagir com o sistema.

Para a área de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental da CAIXA, o PoupeMais, da MGov, e os demais negócios selecionados no Desafio têm o objetivo de melhorar o acesso da população de baixa renda a serviços bancários e incorporar a prática de planejamento financeiro. “Essa foi a primeira iniciativa de inovação aberta da CAIXA, o que nos traz grandes aprendizados”, afirma Luciana Freitas Enéias Oliveira, Superintendente Nacional de Inteligência Corporativa e Estratégia. “A ausência de educação financeira é uma barreira crítica para a maior inclusão social da população, bem como para a melhor utilização dos serviços bancários. Por isso, é preciso desenvolver serviços financeiros inovadores, mais acessíveis e adequados à realidade dos brasileiros”, destaca Oliveira.

O ponto forte do PoupeMais, na visão da CAIXA, é o fato de se tratar de um programa totalmente focado em educação financeira. “A CAIXA tem em sua carteira de clientes um número expressivo de pessoas de baixa renda, que muitas vezes desconhecem os mecanismos de consumo consciente, acesso a crédito e uso da conta corrente. Por isso, é uma responsabilidade da CAIXA criar oportunidades. A principal entrega desse processo é a aprendizagem, a interação e o rompimento de barreiras, necessários para o atendimento dessa população”, diz Rogério Saab, Superintendente Nacional do Programa Bolsa Família e Benefícios Sociais da CAIXA.

Outro programa da MGov, o EduqMais, destinado ao engajamento dos pais na educação de filhos, superou recentemente a marca de mais de 140 mil usuários, incluindo pais e alunos da rede pública de ensino, em 36 municípios do Brasil. Estudo recente do impacto das mensagens de engajamento revela resultados impressionantes: alunos mais comprometidos e com maior presença nas aulas, com notas melhores e menor repetência. “Acreditamos que é possível inovar e fazer mais pela população de baixa renda através do Governo e não apesar dele”, afirma Vivolo. O retorno para a área pública também é excepcional: para cada R$ 1 investido no EduqMais, o governo pode economizar R$ 12,44 devido à menor repetência e correção de fluxo –  uma taxa de retorno superior a 1.000%.

Sobre a MGov

Fundada em 2012 por três jovens empreendedores, Guilherme Lichand, Rafael Vivolo e Marcos Lopes, a MGov oferece o ImpactCom, produto escalável de comunicação para apoiar políticas públicas e ações de impacto social. O envio de informações e de nudges para mudança de comportamento e a coleta de dados é feito por meio de SMS e de aplicativos que as operadoras permitem utilizar sem consumo de dados, diretamente no celular do público-alvo, metodologia que tem grande alcance, custo baixo e impacto validado. Essa inteligência de comunicação interativa já apoiou um leque de ações em órgãos governamentais, organizações do terceiro setor e empresas engajadas em atividades de responsabilidade corporativa.

Com a visão de ser referência mundial em soluções de comunicação para desenvolvimento social, apoiando a universalização de oportunidades básicas, a MGov completa cinco anos com muitas conquistas. A utilização pioneira das ferramentas do ImpactCom para apoiar a Secretaria de Planejamento e Finanças do Rio Grande do Norte, no esforço de avaliação do programa Leite Potiguar, em 2013, mostrou que a metodologia da MGov é eficaz e ajudou a redesenhar o programa de distribuição de leite no Estado, impactando mais de 150 mil famílias. Em 2014, a solução da MGov apoiou 4 mil agricultores familiares do sertão do Ceará, em projeto financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates. Ainda em 2014, foi a vez do primeiro projeto internacional, de apoio ao processo de orçamento participativo da cidade de Boston, EUA, no qual jovens entre 12 e 25 anos decidiram como a cidade deveria gastar US$ 1 milhão. Nesse mesmo ano, a MGov foi reconhecida pela MIT Technology Review como a principal inovação social brasileira liderada por jovens de menos de 35 anos. Em 2015, a MGov venceu edital da Fundação Lemann e da Omidyar Network que deu origem ao EduqMais. Em 2016, com a biblioteca de educação financeira PoupeMais, a MGov foi uma das vencedoras do Desafio de Negócios de Impacto Social da CAIXA e da Artemisia, permitindo alcançar os beneficiários dos programas Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida.

A MGov conta hoje com 170 mil usuários e apoia grandes clientes como Banco Central, Ambev, Instituto Natura, Fundação Lemann, BID, Instituto Coca-Cola, Livo e MindLab. Possui ainda projetos internacionais na Alemanha, Costa do Marfim e República Dominicana.

Foto: Rafael Vivolo, CEO da MGov 

MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Printec Comunicaçãowww.printeccomunicacao.com.br

Visite a página da Printec Comunicação no Facebook

Vanessa Giacometti de Godoyvanessa.godoy@printeccomunicacao.com.br

(11) 5185-4970  // (11) 99982 7543