EduqMais, da MGov, supera a marca de 140 mil usuários na rede pública de ensino

Publicado em em Printec Comunicação.

Estudo conduzido com 19.300 famílias e 286 escolas da rede estadual de ensino de São Paulo confirma a eficácia, na prática, do sistema de comunicação inteligente via SMS desenvolvido pela MGov, o EduqMais, que promove o engajamento dos pais na educação de seus filhos e melhora os indicadores educacionais da rede pública. Com o EduqMais, houve 10% menos de faltas nas aulas; notas melhores e potencial para aumentar o índice Ideb em 0,4 ponto; e queda na reprovação de 3 pontos percentuais, com amplo impacto econômico e social. 

MGov Rafael Vivolo CEOCom soluções inovadoras para problemas sociais da população de baixa renda em áreas como habitação, saúde, educação e finanças, a nova geração de empreendedores de negócios de impacto social começa a ocupar espaços importantes também na esfera pública. O caminho é mais difícil, até pela burocracia envolvida na contratação por órgãos governamentais, mas aqueles que superaram essa barreira começam a provar que os benefícios podem ser enormes. Na área da educação a solução EduqMais, da MGov – que desenvolve produtos escaláveis e replicáveis de comunicação para engajamento e avaliação de políticas públicas e ações de impacto social – superou a marca de mais de 140 mil usuários entre pais e alunos da rede pública de ensino, em 36 municípios. Estudo recente do impacto alcançado já revela resultados surpreendentes: alunos mais comprometidos e com mais presença nas aulas, com notas melhores e menos repetência.

Startup de impacto social criada há cinco anos, a MGov desenvolve soluções de avaliação, monitoramento e engajamento para apoiar a gestão de políticas públicas e ações de impacto social. Com a visão de “ser referência mundial em soluções de comunicação para desenvolvimento social, apoiando a universalização de oportunidades básicas”, a MGov completa cinco anos com muitas conquistas. Entre os clientes, estão Banco Central, Ambev, Instituto Natura, Fundação Lemann, BID, Instituto Coca-Cola, Livo e MindLab. Conta hoje com 187 mil usuários pagos, com forte presença na área pública.

O EduqMais é apenas uma das soluções da MGov. “Acreditamos que é possível inovar e fazer mais pela população de baixa renda pela via governamental”, afirma Rafael Vivolo, CEO da MGov. Para a área pública, o retorno também é excepcional: para cada R$ 1 investido no EduqMais, por exemplo, o governo tem uma economia potencial de recursos de R$ 12,44, especialmente com a queda na repetência, superando assim a marca de 1.000% de retorno.

Dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2015 mostram que 25% dos pais não sabem se os filhos faltaram às aulas; 33% não perguntam sobre os problemas dos filhos; e 50% não têm o hábito de verificar o dever de casa. Entre outros motivos, esses resultados podem ser atribuídos à rotina atarefada das famílias, à falta de informação dos pais sobre o que fazer para apoiar os filhos e à comunicação escola-família pouco efetiva. Muitas vezes, os pais têm um nível de instrução inferior ao dos filhos e não se sentem capazes de ajudá-los.

O EduqMais, solução desenhada pela MGov com o apoio da Fundação Lemann e da Omidyar, permite o envio de informações e a coleta de dados por meio de mensagens SMS para os celulares de um público-alvo pré-definido, modelo de baixo custo que pode atingir um grande número de pessoas, quebrando o isolamento por meio de mensagens simples, diretas e com conteúdo estruturado. “A criação de um canal de comunicação direto com a população de baixa renda que não tem acesso à internet mas que possui telefone celular, possibilita um maior alcance do público, sem intermediários. Vale lembrar que mais de 90% da população tem telefone celular, mas apenas metade tem acesso à internet”, diz Rafael Vivolo.

A escola tem acesso à plataforma do EduqMais para enviar mensagens aos pais, via SMS, informando sobre prazos, eventos e atividades escolares ou sobre frequência e desempenho dos alunos. As famílias, por sua vez, recebem informações relevantes sobre a fase de desenvolvimento do filho e sugestões de atividades simples para tornar a relação mais próxima e apoiar o desenvolvimento. O conteúdo de cada mensagem atende às especificidades da faixa etária dos filhos e trata do desenvolvimento de habilidades socioemocionais, não exigindo dos pais o conhecimento do conteúdo curricular.

A partir do cadastramento dos pais/responsáveis, realizado pelas escolas, os pais começam a fazer parte de uma rede de comunicação frequente, recebendo via SMS, sem nenhum custo, mensagens que incentivam hábitos de engajamento, além de sugestões de atividades. Por exemplo: “ouvir histórias desde cedo estimula a criança a desenvolver o hábito de ler”; “peça para seu filho contar a história preferida dele e ouça com atenção”. As escolas, por sua vez, enviam lembretes com as datas de reuniões entre pais e mestres, muitas vezes esquecidas em bilhetes enviados nas mochilas dos alunos. Além disso, informam sobre desempenho e frequência. Por exemplo: “na provinha da última semana, Davi tirou nota 6 em matemática”; “Sofia teve mais de 90% de presença nas aulas no terceiro bimestre. Valorize o esforço e cuide para que ela esteja presente em todas as aulas”.

Estudo conduzido com 19.300 famílias e 286 escolas da rede estadual de São Paulo, de junho a dezembro de 2016, envolvendo alunos do 9o ano do Ensino Fundamental, confirmaram a eficácia do sistema da MGov como forma de melhorar indicadores educacionais da rede pública. A avaliação analisou os dois eixos do EduqMais: engajamento, com sugestões de atividades para apoiar o desenvolvimento dos filhos; e comunicação, com informações semanais para as famílias sobre frequência, atraso e entrega de tarefas.

PRINCIPAIS RESULTADOS DO ESTUDO DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO EDUQMAIS

MGov_EduqMais_Resultados

Resultados sobre comportamento

  • Pais e responsáveis mais interessados na vida escolar dos filhos: mostram interesse e apoio com mais frequência. Incentivam mais os filhos para que não faltem e não se atrasem nas aulas.
  • Filhos mais dedicados à escola: atribuem mais importância à presença e pontualidade na sala de aula; faltam menos às aulas.
  • Alunos com EduqMais faltam 10% menos nas aulas.

 

Aprovação e nota

  •  A proficiência dos alunos em Matemática no Saresp (avaliação externa da rede estadual de São Paulo) aumentou em 0,08 desvio-padrão e a taxa de aprovação em 3 pontos percentuais.
  • Com esses resultados em proficiência e taxa de aprovação, o EduqMais tem potencial para aumentar o Ideb em 0,4 ponto, considerando as mensagens nos dois eixos: dicas de engajamento e informações da escola – que respondem, respectivamente, por 90% e 10% desse potencial de aumento.
  • O Ideb, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, é formulado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino. Segundo dados de 2015, o estado de São Paulo atingiu 4,7 pontos, quando a meta do Ideb para os anos finais do ensino fundamental era de 5. Se o EduqMais tivesse sido aplicado a toda a rede pública, o efeito teria sido suficiente para que o estado de São Paulo batesse a meta.

 

Experiência do usuário

  • 86% dos pais gostariam de continuar recebendo as mensagens
  • Frases dos pais:

“As vezes a gente fica sem ideia do que falar e aí as mensagens chegam e ajudam.”

“Eu não posso ir na reunião porque trabalho, sou diarista. Pra mim tá sendo bom esse projeto porque fica mais fácil, eu vejo as notas dele, vejo o que a professora escreve.”

“Com as dicas eu me aproximei e percebi o quanto é importante(…). A gente vê a felicidade no olhinho da criança”.

  • Opinião de diretora de escola:

“Os pais estão muito felizes. (…) Recebemos vários pais que foram à escola porque receberam mensagem no local de trabalho e, ao final do expediente, lembraram. Ficamos e estamos eufóricos.”

 

Resultados gerais

Com os pais mais engajados e melhor informados, os filhos:

  • sentem-se mais amparados;
  • mais motivados a melhorar o seu desempenho;
  • melhoram suas habilidades socioemocionais;
  • dedicam-se mais;
  • são mais assíduos nas aulas;
  • têm mais chances, no longo prazo, de alcançar maiores níveis de escolaridade e de ter melhores oportunidades no mercado de trabalho.

O estudo concluiu também que o EduqMais é cinco vezes mais custo-efetivo que outras políticas públicas em educação com resultados disponíveis para o Brasil. Em análises rigorosas de impacto, foram encontrados resultados relevantes de políticas de ampliação da jornada, redução de tamanho de classe e de implantação de sistema de gestão escolar. No entanto, são políticas que exigem maior investimento de recursos e mais tempo para gerar impacto em comparação com o EduqMais, que apresentou esses resultados com aproximadamente um semestre de comunicação. 

Segundo Guilherme Lichand, cofundador e presidente do conselho da MGov, “o Brasil é tão carente que mesmo uma iniciativa simples pode trazer grandes resultados, o que torna o país um campo fértil para a implementação de medidas e negócios de impacto social”. Em meio às startups brasileiras, o EduqMais figura atualmente entre os mais bem-sucedidos produtos em volume de negócios, mas a MGov acredita haver ainda um imenso potencial de mercado pela frente. No Brasil, existem 40 milhões de alunos matriculados na rede pública. Só no estado de São Paulo, são 3 milhões de estudantes.

Os resultados do EduqMais na EE Profª Ismênia Monteiro de Oliveira, Pindamonhangaba (SP)

Implantado como projeto-piloto envolvendo 72 alunos do 9o ano do ensino fundamental, em 2016, o EduqMais trouxe muitos benefícios para a Escola Estadual Profª Ismênia Monteiro de Oliveira, localizada em Pindamonhangaba (SP). “O EduqMais é uma ferramenta fundamental. A sua adoção deu um pontapé inicial para mudar a nossa visão sobre a relação da escola com os pais e a participação dos pais na educação dos alunos. A realidade mudou e a escola pode hoje se aproximar dos pais sem que essa relação seja necessariamente presencial”, afirma Odair Aparecido dos Santos, vice-diretor da escola Profª Ismênia Monteiro de Oliveira.

Segundo ele, o EduqMais possui várias qualidades, tanto para o aprendizado dos alunos quanto financeiras. Uma delas foi aumentar a autoestima dos alunos, que viram seus pais mais interessados e informados sobre as suas  atividades escolares. Os alunos se sentiram mais valorizados. Os pais passaram a saber, por exemplo, o nome do professor de matemática ou o período de avaliações, o que foi percebido pelos alunos como atenção e cuidado.

Outra vantagem que deveria ser levada em consideração pelo Estado, diz Santos, é a redução do custo da escola com as ligações telefônicas e o tempo gasto pelos funcionários na localização dos pais. “Com o envio de mensagens por SMS, a nossa conta telefônica diminuiu muito. O investimento feito no EduqMais também traz retorno financeiro. Creio que esta relação custo-benefício não está sendo visualizada como deveria pelo Estado”, afirma Santos. Segundo ele, a preparação de mensagens pelos funcionários da escola, como o aviso sobre as reuniões, por exemplo, é muito simples e pode ser feita rapidamente. “Não leva um minuto”. O envio de SMS é uma ótima saída especialmente em locais onde o sinal de telefonia é inconstante. “Você sabe que, em algum momento, os pais vão receber a mensagem”, diz Santos, que já trabalhou em áreas em que os sinais eram mais difíceis. Atualmente, a escola está enviando mensagens por Whatsapp para os alunos, mas não são todos os pais que têm acesso ao aplicativo. “Com o SMS, o alcance é de 100%. Todo mundo hoje tem celular”, afirma.

O vice-diretor afirma que gostaria que a ferramenta tivesse sido adotada não apenas no projeto-piloto mas em todos os anos, especialmente no 6º e 7º, quando os alunos são mais novos e a atenção dos pais precisa ser maior. “O EduqMais nos deu um novo olhar sobre a relação da escola com a família para o aprendizado. Parece algo simples, mas os seus efeitos são múltiplos, existem muitos desdobramentos. Foi um start”, afirma Santos, que trabalha há 25 anos no sistema de ensino do Estado de São Paulo.

Biblioteca de conteúdos

Para que os resultados sejam tão positivos, há um cuidado especial com a biblioteca de conteúdos, elaborada pela MGov com a curadoria e o apoio da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal – para alunos entre zero a três anos – e do Instituto Ayrton Senna – para a faixa etária entre 3 e 18 anos. Depois de elaboradas, as mensagens são testadas para que de fato sejam as mais adequadas aos diferentes perfis de engajamento dos pais.

O conceito que norteia o EduqMais está relacionado a “nudges”, ou “arquitetura da escolha”. Desenvolvido pelos teóricos da economia comportamental – linha de pensamento que vincula ciências comportamentais como psicologia e neurociência a eventos econômicos – “nudge” quer dizer, em português, “empurrão” ou “cutucada”. Os economistas Richard Thaler (ganhador do Nobel com estudo sobre como o comportamento afeta a tomada de decisões) e Cass Sunstein defendem estratégias que, em vez de impor, estimulem a pessoa a tomar por si só decisões que melhorem seu bem estar. O envio de mensagens pelo celular para um público-alvo, como faz a MGov, enquadra-se nesse conceito, pois seu conteúdo influencia positivamente na tomada de decisões das pessoas que as recebem. São “empurrões” da política pública para ações benéficas das pessoas em relação a elas próprias e à sociedade, motivando mudanças de comportamento e de hábitos.

Também na base do trabalho da MGov está a teoria Growth Mind Set, por meio da qual os temas das mensagens enviadas são revisitados. Criada pela psicóloga Carol Dweck, após estudar o comportamento de milhares de crianças, a teoria Growth Mind Set revela que crianças que acreditam que podem desenvolver seus talentos por meio de seu esforço e empenho tendem a conquistar mais do as que acreditam que seus talentos são dons com os quais já nascem. Quando os alunos acreditam que podem ficar mais inteligentes, eles entendem que o esforço os torna melhores. Avanços recentes na neurociência mostram que o cérebro é muito mais maleável do que se pensava. Pesquisas sobre plasticidade cerebral mostram como a conectividade entre os neurônios pode mudar com a experiência. Com a prática, as redes neurais criam novas conexões e fortalecem as existentes. Essas descobertas neurocientíficas mostram que as pessoas podem aumentar o crescimento neural pelas ações que tomam, como usar boas estratégias, fazer perguntas, praticar e seguir boa nutrição e hábitos de sono.

Sobre a MGov

Fundada em 2012 por três jovens empreendedores, Guilherme Lichand, Rafael Vivolo e Marcos Lopes a MGov desenvolve produtos escaláveis e replicáveis de avaliação e engajamento para apoiar políticas públicas e ações de impacto social. São produtos de comunicação inteligente voltados ao desenvolvimento social. O envio de informações e a coleta de dados é feita por meio de SMS para os números de celular do público-alvo, metodologia que tem grande alcance e custo baixo.

Essa inteligência de comunicação interativa deu origem a um leque de produtos destinados tanto a órgãos governamentais que queiram medir o alcance de políticas públicas quanto às empresas do setor privado, ONGs, fundações, institutos e investidores em negócios de impacto social que desejam medir o retorno de suas aplicações. A MGov também possui produtos que influenciam positivamente o engajamento dos pais na educação dos filhos e as decisões financeiras das pessoas, como o EduqMais e o PoupeMais, respectivamente. Na área pública, as ferramentas da MGov permitem aos gestores direcionar as decisões e aprimorar políticas à medida em que abrem espaço para que a sociedade possa se expressar melhor e dar a sua opinião sobre produtos e serviços.

Com a visão de “ser referência mundial em soluções de comunicação para desenvolvimento social, apoiando a universalização de oportunidades básicas”, a MGov completa cinco anos com muitas conquistas. A auditoria de impacto realizada para o programa Leite Potiguar, em 2013, por exemplo, mostrou que a metodologia da MGov é eficaz e ajudou a redesenhar o programa de distribuição de leite no Rio Grande do Norte, com impacto em 150 mil famílias. Em 2014, a solução da MGov apoiou 4 mil agricultores familiares do sertão do Ceará, em projeto financiado pela fundação Bill e Melinda Gates. Ainda em 2014 foi a vez do primeiro projeto internacional, de apoio ao processo de orçamento participativo da cidade de Boston, EUA, no qual jovens entre 12 e 25 anos decidiram como a cidade deveria gastar US$ 1 milhão. Nesse mesmo ano, a MGov foi reconhecida pela MIT Technology Review como a principal inovação brasileira no ano, liderada por jovens de menos de 35 anos. Em 2015, a MGov venceu edital da Fundação Lemann e da Omidyar Network que deu origem ao EduqMais. Em 2016, o produto de educação financeira PoupeMais foi um dos vencedores do Desafio de Negócios de Impacto Social da Caixa e da Artemisia e foi disponibilizado para 10 mil beneficiários do Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida. Também em 2016, a equipe da MGov cresceu como parte da nova estrutura para acompanhar o crescimento da empresa, e assim qualificar e aprofundar o impacto junto a governos, organizações da sociedade civil e responsabilidade social corporativa.

A MGov conta hoje com 187 mil usuários e tem entre seus clientes Banco Central, Ambev, Instituto Natura, Fundação Lemann, BID, Instituto Coca-Cola, Livo e MindLab. Possui ainda projetos de internacionalização com o governo da Alemanha e negociação com Costa do Marfim e República Dominicana. 

 

Foto: Rafael Vivolo, CEO da MGov

 

MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Printec Comunicação www.printeccomunicacao.com.br

Visite a página da Printec Comunicação no Facebook

Vanessa Giacometti de Godoy vanessa.godoy@printeccomunicacao.com.br

Fone: (11) 5185-4970