Prato Firmeza, guia gastronômico das quebradas, é finalista do Prêmio Jabuti

Publicado em em Fundação ARYMAX.

1Imagem_FirmezaProduzido coletivamente por jovens de periferias de São Paulo – integrantes do projeto Escola de Jornalismo, com idades entre 16 anos e 21 anos –, o guia gastronômico é finalista do maior prêmio literário do Brasil. Sem editora, a obra concorre na categoria “Gastronomia” com nomes como Paola Carosella, Bela Gil e Rita Lobo. A cerimônia de entrega do 59º Jabuti será em 30 de novembro, no Auditório Ibirapuera.

São Paulo, 24 de outubro de 2017 – Uma das grandes surpresas entre os finalistas do 59º Prêmio Jabuti é o Prato Firmeza, um mapa de gastronomia das quebradas. Publicada e distribuída de forma independente, a obra – produzida coletivamente por jovens da periferia de São Paulo – tem a proposta de descentralizar as indicações de bares e restaurantes que privilegiam as regiões nobres da cidade. E, ao mesmo tempo, incentivar a descoberta e valorização do território onde os jovens autores moram, dando visibilidade também aos estabelecimentos da periferia. A iniciativa foi apoiada pela Fundação ARYMAX em um concurso que premia jovens com ideias de impacto social.

As resenhas do guia gastronômico das quebradas foram produzidas por 10 jovens da turma 2016 do programa Escola de Jornalismo, que mapearam 40 restaurantes da capital e da região metropolitana. Prato Firmeza leva mais diversidade para o jornalismo de gastronomia e revela um cardápio que vai além das áreas nobres. O livro nasceu como um serviço para quem come e empreende na periferia, reafirmando que a “meca gastronômica” – São Paulo – estava sendo subestimada. Na seleção, muitos restaurantes dignos de destaque no Instagram como Casa da Lagartixa Preta (Santo André) e Ville Japan (Jardim Marcelo, extremo sul de São Paulo). A turma 2017 já está produzindo um novo guia, que será lançado no início do próximo ano.

Prato Firmeza – Guia Gastronômico das Quebradas de São Paulo pode ser adquirido por R$ 15 no site https://enois.lojaintegrada.com.br/.

No vídeo criado pelos autores, mais informações sobre o processo de produção da obra:

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=SCvQLKvMXOg

Sobre a Escola de Jornalismo

Em 2009, as jornalistas Amanda Rahra e Nina Weingrill fundaram a ÉNóis, a partir de um trabalho de formação voluntário no Capão Redondo, um dos bairros mais violentos da periferia paulistana. Após formar 300 estudantes em cursos presenciais, a dupla resolveu dar um passo adiante para alcançar um número maior de pessoas e partiu para o ensino online. Em outubro de 2014, criou a primeira escola online de jornalismo do Brasil voltada ao público jovem, a Escola de Jornalismo. Nela, cursos gratuitos são apresentados por meio de videoaulas, instrutores especialistas e materiais de referência num formato de tutorial, inovando a linguagem utilizada para educação online. Hoje a plataforma já conta com mais de 4 mil alunos cadastrados. Apenas em 2016, a Escola de Jornalismo produziu mais de 20 reportagens. O Prato Firmeza impactou, diretamente, mais de 500 pessoas em debates, encontros e formações em São Paulo.  http://escoladejornalismo.org/

Sobre a Fundação ARYMAX

Criada em 1990, a Fundação ARYMAX é uma entidade sem fins lucrativos que mobiliza recursos privados para o desenvolvimento e fortalecimento de pessoas, iniciativas e organizações da sociedade brasileira. Ao longo de quase três décadas, a Fundação já apoiou mais de 200 organizações, contribuindo efetivamente para a consolidação de projetos no Brasil. Desde 2010, a organização também investe em programas próprios que impulsionam jovens a realizarem transformações na sociedade. www.arymax.org.br

MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Printec Comunicação www.printeccomunicacao.com.br

Visite a página da Printec Comunicação no Facebook

Betânia Lins betania.lins@printeccomunicacao.com.br

Vanessa Giacometti de Godoy vanessa.godoy@printeccomunicacao.com.br

Fone: (11) 5185-4974 / Celular: (11) 9 9274-9651