Nova Sala de Provas da Ipanema Coffees possui projeto inovador e sustentável

Publicado em em Ipanema Coffees.

Ipanema_SalaProvas_IgorVilela

 

A construção se diferencia pelo uso de vários contêineres trabalhados para compor uma estrutura única que alia inovação e sustentabilidade, e está alinhada à missão diária da Ipanema de unir a excelência operacional de seus processos de produção de cafés especiais de alta qualidade à preservação do meio ambiente. O novo espaço também garante a clientes e visitantes de vários países uma experiência diferenciada de degustação.  

 

São Paulo, 11 de setembro de 2017 – Grande exportadora de cafés especiais que saem de suas fazendas em carregamentos diários de  contêineres durante a época da colheita, a Ipanema Coffees decidiu inovar em suas instalações e fazer do próprio contêiner um espaço arrojado e eficaz. Aberta aos clientes e visitantes em junho, a nova Sala de Provas e Laboratório de Controle de Qualidade é muito mais que uma área para degustar a qualidade dos cafés especiais produzidos e exportados para 25 países pelas três fazendas situadas nos municípios de Alfenas e Conceição do Rio Verde, no sul de Minas Gerais. De arquitetura única, o projeto tem design arrojado e inovador, e sintetiza a missão diária da Ipanema de aliar a excelência operacional de seus processos à preservação do meio ambiente. Aproveitamento diferenciado de contêineres em uma estrutura única, uso de células fotovoltaicas e reuso de madeira dos cafezais, entre outras iniciativas, fazem do Laboratório de Qualidade e da Sala de Provas um modelo de inovação e de sustentabilidade no campo.

 

“Além de centro de controle e de monitoramento do processamento do café, a sala de Controle de Qualidade de Café é o principal ponto de encontro de clientes e visitantes de vários países, que têm a oportunidade de testar inúmeras possibilidades de cafés e de criar produtos e soluções para demandas específicas. Nosso objetivo com o novo espaço foi fazer com que os clientes não só tivessem uma experiência única de degustação de nossos cafés em um espaço que prima pela inovação, mas pudessem atestar a preocupação que temos, em cada detalhe, com a harmonia entre os processos de produção e o meio ambiente”, afirma Washington Rodrigues, presidente da Ipanema Coffees.

 

Situada na fazenda Conquista, em Alfenas, a construção, de 200 m2, teve como desafio inicial o uso de sete contêineres, totalizando 27 toneladas de aço. “Embora o uso de contêiner em construções esteja em alta pela estética e sustentabilidade, é pouco comum o uso de vários contêineres em uma estrutura única, transformados em vários espaços diferenciados, como foi concebida a obra na Ipanema Coffees”, afirma Gabi Sartori, arquiteta da Sartori Design responsável pelo projeto.

 

Apesar de durarem mais de 100 anos, os contêineres em geral são descartados após 20 anos e muitas vezes abandonados nos portos, devido ao alto custo da reciclagem. Com a técnica de construção utilizada, foi possível economizar 180 toneladas de recursos como água, areia, cascalho, cimento e ferro, além de reduzir os resíduos da obra de 21 toneladas para 4,6 toneladas.

 

A fachada de oito metros, totalmente feita de vidro, garante a entrada de luz natural. A janela dá vista para a área de secagem, beneficiamento e lavoura de café, o que permite aos clientes apreciar uma visão ampla da fazenda e ter uma experiência mais completa de prova.

 

O contêiner de baixo, técnico, comporta todo o maquinário necessário à Sala de Provas e dá apoio ao conjunto da obra. Não apenas o contêiner padrão foi utilizado, mas o high cube, com pé direito mais alto. “Todo o projeto executivo da obra, considerando o casamento das medidas, apoios feitos nos locks e reforços nas partes internas, tem que ser previamente definido com exatidão uma vez que, iniciada a obra, não há margem de retorno, sob pena de perda do contêiner”, destaca Gabi Sartori.

 

Para chegar a uma solução mais eficaz do ponto de vista acústico e térmico – considerando que o contêiner em geral deixa o ambiente interno mais aquecido – e  reduzir a entrada de calor e o uso de ar condicionado, o revestimento interno das paredes foi feito com isolamento termoacústico de pet, que tem praticamente a mesma eficácia de outros materiais não tão sustentáveis como lã de rocha ou lã de vidro. Associada ao teto verde, essa técnica permitiu reduzir a temperatura interna em 6 graus centígrados. Toda a água descartada no espaço é tratada por um sistema de biodigestores anaeróbico de baixa manutenção, simples e eficiente.

 

Para reduzir o consumo de energia foram instalados 12 painéis fotovoltaicos que geram 70% da energia necessária, de cerca de 490 kWh por mês. Com o sistema integrado à rede, é possível abater da conta o excedente gerado e não consumido. Além disso, todas as salas são equipadas com luz de LED.

 

A madeira da mesa de provas foi feita com troncos de pés de café antigos, com 45 anos, cortados como parte da renovação natural da plantação; madeiras de demolição, coleta de água de chuva e tijolos reaproveitados de antigas construções compõem o conjunto de detalhes do design moderno e sustentável. Até mesmo o processo de “cuspe” – tradicional entre os provadores de café – foi repensado: os líquidos que sobram são utilizados na reciclagem e os sólidos aproveitados no jardim, como adubo.

 

Ao respeitar o valor dos recursos naturais, o projeto economizou, ao todo, 280 toneladas de materiais de construção; evitou a produção de 16 toneladas de entulhos; e reduziu em 98 toneladas a emissão de CO2 em 20 anos.

 

Em época de colheita de café – entre abril e setembro –, mais de 500 xícaras são testadas por dia na Sala de Provas. Em média, no ano, são analisadas 200 mil amostras. Especialistas em qualidade da Ipanema fazem a separação do café em lotes, considerando características como tamanho, aspecto e cor. Análises de roasting são feitas em diferentes tipos de preparo da bebida. “Trata-se de uma alquimia sofisticada, conduzida de forma diferenciada pela equipe de Q grader´s da Ipanema, para que cada detalhe represente inovação e qualidade, e para que os clientes e visitantes não tenham dúvidas de que cada grão de café da Ipanema é, de fato, um specialty coffee de altíssima qualidade”, afirma Washington Rodrigues.

 

Concebida para utilizar o mínimo de recursos, a construção expressa os princípios de sustentabilidade praticados nas fazendas – reduzir, reutilizar e reciclar – e reforça o pioneirismo e a inovação que acompanham a Ipanema desde o início de sua produção, em 1969. Pioneira na exportação de cafés especiais no Brasil, a Ipanema completou 25 anos de exportação em 2016, para 25 países.

 

Assista ao vídeo de construção da nova Sala de Provas da Ipanema Coffees:

 

https://www.youtube.com/watch?v=R5rF-HoNXWA

 

Sobre a Ipanema Coffees

 

A Ipanema Coffees está entre as mais reconhecidas produtoras de cafés especiais  do mercado internacional, com atuação pautada pela inovação, relações de longo prazo e consistência na produção e comercialização de cafés especiais para importadores, torrefadores e coffee shops. Com 14 milhões de pés plantados em três fazendas no sul de Minas Gerais – Rio Verde, Conquista e Capoeirinha –, a Ipanema conta com sete labels – Reserve, Bourbon, Ouro Preto, Gourmet, Espresso, Conquista e Dulce – e inúmeras possibilidades oferecidas pelas suas áreas de produção, personalizando produtos e soluções únicas de embalagem e rastreabilidade para cada cliente.

 

Com base em processos fundamentados na inovação, que resultam em excelência operacional e consistência na produção e na comercialização, a Ipanema desenvolve relacionamentos de longo prazo com seus clientes. Com o crescimento do consumo de cafés especiais no mundo, a estratégia é investir em players locais importantes em vários países. Assim, a Ipanema conquista cada vez mais os mercados da Europa e dos Estados Unidos, Austrália, Rússia, Japão e Coreia do Sul, entre outros.

 

Pioneira no Brasil na exportação de cafés especiais, a Ipanema Coffees completou, em 2016, 25 anos de presença no mercado externo, levando cafés de altíssima qualidade para 25 países e somando, ao final desse período, mais de 1,9 milhão de sacas de 60 kg exportadas. Técnicas e equipamentos inovadores aprimoram continuamente processos e produtos para levar o melhor ao mercado externo. Todas as etapas do processo de produção garantem a mais alta qualidade: nível ideal de maturação da cereja, tipo de colheita, classificação dos lotes, carregamento de contêineres e remessa para clientes finais. Microlotes e misturas exclusivas ganham vida a partir do monitoramento da qualidade do grão em cada secador e da avaliação cuidadosa do perfil de aparência e de sabor dos cafés.

 

http://www.ipanemacoffees.com.br/

 

Sobre a Sartori Design  

 

A Sartori Design é uma empresa que desenvolve projetos de arquitetura, design de interiores e cenografia. Nasceu da parceria entre a designer Stela Maris Sartori e a arquiteta Gabi Sartori. O escritório foi criado para atender às pessoas do nosso tempo, integrando o funcional ao belo e buscando um diferencial em cada projeto.

 

PARA MAIS INFORMAÇÕES

 

Printec Comunicação www.printeccomunicacao.com.br

 

Vanessa Giacometti de Godoy vanessa.godoy@printeccomunicacao.com.br

 

Antonio Carlos de Godoy antonio.godoy@printeccomunicacao.com.br