Musical infantil “Heróis à Vista” é acessível para adultos e crianças com deficiência visual

Publicado em em Instituto IRIS.

Herois à vista - divulgação 2

Com audiodescrição feita pela cantora Ceumar, Heróis à Vista aborda as superações de uma menina de 10 anos ao lado do cão-guia Boris. Parte da renda da peça será revertida para o Instituto IRIS, organização sem fins lucrativos que é um dos pioneiros no Brasil na difusão do cão-guia como facilitador do processo de inclusão da pessoa com deficiência visual. 

São Paulo, 25 de maio de 2017 – O Teatro Alfredo Mesquita apresenta o novo espetáculo da Pocilgas & Cia. Com direção de Márcio Araújo, “Heróis à Vista” é um musical infantil – cantado ao vivo – que conta com a manipulação de bonecos em diferentes técnicas: direta, bunraku e fantoches. A proposta traz uma grande inovação: o espetáculo conta com audiodescrição para pessoas com deficiência visual, gravada pela cantora Ceumar. Na prática, uma peça totalmente acessível a adultos e crianças com deficiência visual sem, no entanto, tornar-se exclusiva para eles.

Baseada no livro homônimo publicado pela Globo Livros, “Heróis à Vista” é uma grande aventura que conta a história de Boris, um cãozinho filhote que sonha ser um cão-guia, assim como o pai. Mas a avó Irina, uma cão-guia aposentada, avisa: “você terá que ser perseverante e aprender a se desapegar! Essa é a maior dificuldade de um cão-guia!”. Ao mesmo tempo, Luíza, uma menina de 10 anos, sonha ser detetive, mas ela também tem uma dificuldade: é cega. E por isso, alguns amigos na escola a desencorajam. Mas ela está decidida!

A trajetória de Boris não é fácil: primeiro é afastado da mãe e irmãos, ainda filhote, e vive um ano com um casal de humanos. Depois, tem que deixá-los para seguir para a “Escola de Cão-Guia”. Lá, passa por dificuldades, enfrentando Trovão, um cão-treinador muito exigente e feroz. Enquanto isso, a menina Luíza vai se deparando com as dificuldades do dia a dia. Nesses momentos, ela descobre que apesar de não ter visão, tem outras aptidões: escuta muito bem, sente cheiros como ninguém, tem um paladar muito desenvolvido e encontra várias coisas pelo tato. Talentos que podem ajudar, e muito, a se tornar detetive!

Até que finalmente, Boris consegue se tornar um cão-guia e o encontro dos dois acontece: ele é escolhido para ser os olhos de Luíza, e o sonho dela pode se realizar de vez! Boris e Luiza viram uma dupla de heróis detetives que vão desvendar muitos mistérios! Os personagens foram desenhados pelo ilustrador e animador Guilherme Alvernaz, que criou a onça Ginga, mascote do time olímpico brasileiro de 2016.

A peça utiliza bonecos de bancada, feitos por Armando Júnior, um dos grandes bonequeiros e manipuladores do Brasil. No espetáculo, três manipuladores dão vida a todos os personagens e também aos objetos que surgem durante a trama. O cenário é completamente móvel, com adereços que compõem cada espaço por onde a história se desloca. As músicas, cantadas ao vivo, foram compostas por Tato Fischer, parceiro de longa data da Cia Pocilgas. O arranjo ficou por conta de Gabriel Moreira, multi-instrumentista que domina mais de oito instrumentos.

Em prol da causa do cão-guia

Heróis à vista transmite às crianças a importância do compromisso com a cidadania por meio de uma história de cumplicidade e esperança entre uma garotinha e seu cão-guia. Peça e publicação foram inspirada em Boris, cão-guia de Thays Martinez, idealizadora do livro homônimo e protagonista no processo de elaboração e aprovação da lei que autoriza o trânsito livre desses animais por todo o Brasil. Thays – autora de Minha vida com Boris, publicado em 2011 pela Globo Livros –  é fundadora do Instituto IRIS, organização que é uma das pioneiras no Brasil na difusão do cão-guia como facilitador do processo de inclusão da pessoa com deficiência visual. A ONG receberá parte da renda das vendas de ingressos da peça para investir na causa, ou seja, para vencer o desafio de aumentar o acesso das pessoas que querem um cão-guia a esse benefício.

Atualmente, o IRIS conta com uma lista composta por quase 3 mil pessoas que aguardam a doação de um cão-guia. Além do objetivo de doá-los aos inscritos, Thays tem um sonho a ser realizado: criar uma estrutura para treinar cães-guia no Brasil, oferecer classes a instrutores e disseminar informações precisas sobre a enorme contribuição dos cães-guia na vida das pessoas com deficiência visual ou baixa visão.

Ficha Técnica

Direção e dramaturgia: Márcio Araújo

Elenco: Débora Vivan, Márcio Alves e Neusa de Souza

Narração cantada: Ceumar

Direção Musical e Arranjos: Gabriel Moreira

Música composta: Tato Fischer

Design de bonecos: Armando Júnior

Foto: Ma Soul

Serviço

Temporada:  Até 11 de junho. Sábados e Domingos, às 16 horas

Local: Teatro Alfredo Mesquita. (198 lugares). Livre
Duração: 50 minutos.

Ingressos: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada)

Teatro Alfredo Mesquita: Av. Santos Dumont, 1770 – Santana

Telefone – (11) 2221-3657. Acesso para pessoas com deficiência.

Com estacionamento.
 

IRIS

O Instituto IRIS, organização sem fins lucrativos, é um dos pioneiros no Brasil na difusão do cão-guia como facilitador do processo de inclusão da pessoa com deficiência visual. Fundado em 2002 pela advogada Thays Martinez, o IRIS tem a missão de desenvolver atividades e projetos que acelerem o processo de inclusão social das pessoas com deficiência. No cerne da atuação, a inclusão, responsabilidade social, a elevação da qualidade de vida e o desenvolvimento humano das pessoas com deficiência por intermédio do desenvolvimento, apoio e execução de projetos de caráter cultural, social, jurídico, científico, tecnológico e educacional que viabilizem a realização dos objetivos

O desafio da organização é aumentar o acesso das pessoas que querem um cão-guia a esse benefício. Atualmente, o IRIS conta com uma lista composta por quase 3 mil pessoas. Além do objetivo de doar cães-guia a quem aguarda o benefício, temos um sonho a ser realizado: criar uma estrutura para treinar cães-guia no Brasil, oferecer classes a instrutores e disseminar informações precisas sobre a enorme contribuição dos cães-guia na vida das pessoas com deficiência visual ou baixa visão. O nosso foco é tornar público os benefícios proporcionados por esses cães que são responsáveis por realizar imensa transformação na vida daqueles que os recebem. A organização é uma das poucas no Brasil a contar com um instrutor reconhecido pela Federação Internacional de Escolas de Cães-Guia (International Guide Dog Federation, Inglaterra) e qualificado pela Royal New Zealand Foundation for the Blind – Guide Dog Services (Nova Zelândia).

 

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
Sobre o Instituto IRIS
Betânia Lins betania.lins@printeccomunicacao.com.br
Fone: (11) 5185-4974 / Celular: (11) 9 9274-9651
Sobre a peça Heróis à Vista
Colateral Comunicação
(11) 2767-8125 / 99996.9185
Clayton Jeronimo clayton@colateralcomunicacao.com.br
Christian Amendola
amendola@colateralcomunicacao.com.br